Investigadores descobriram, numa publicação recente em revista de renome internacional (International Journal of Molecular Sciences), a futura possibilidade da utilização de uma alteração genética no gene TERT, incluída no teste Uromonitor, como marcador preditivo de resposta à terapia BCG. Os detalhes deste estudo podem ser encontrados em:

 

https://www.mdpi.com/1422-0067/21/3/947/htm